GasNet - O Site do Gás Natural e GNV    
Distribuição Produção Legislação Termelétricas GD - Geração Distribuída Novas Tecnologias Cursos & Eventos Instituições

Tenha o GasNet no seu celular

Disponível para iPhone na AppStore

Disponível para Android na GooglePlay

 
 
The Pipeline + Energy Expo
(4/4/2017 - 6/4/2017)
Cox Business Center, Tulsa, Oklahoma
PennWell

 
 
EXPOMAFE - Feira Internacional de Máquinas-Ferrame ...
(9/5/2017 - 13/5/2017)
São Paulo Expo Exhibition & Convention Center
Informa Exhibitions/Abimaq
Horários: 3ª a 6ª de 10 às 19h; Sábado de 9 às 17 h
Endereço: Rodovia dos Imigrantes Km 1,5

 
 
Power-Gen India & Central Asia
(17/5/2017 - 19/5/2017)
Pragati Maidan, New Delhi, India
PennWell

 
 
Atena Engenharia Leia as histórias do Netinho (nosso mascote) Acesse a nossa seção e saiba tudo sobre GNV Leia as histórias do Netinho (nosso mascote)
  Geral - Entrevistas
  Entrevistado: Bruno Armbrust
  Data: 27/08/2013

    Gas Natural Fenosa avalia concessão em Manaus e geração


A Gas Natural Fenosa avalia fazer expansão no Brasil no segmento de gás canalizado e analisa novos negócios na área de energia. A companhia, que atua em de áreas de concessão no Rio de Janeiro e São Paulo, estuda comprar o controle da Companhia de Gás do Amazonas (Cigás), afirmou  Bruno Armbrust, presidente do grupo no Brasil. "Vamos olhar o modelo de concessão previsto para este ano", afirmou o executivo. Neste momento, a companhia também está  olhando oportunidades em geração - térmicas a gás, eólicas e energia solar.

O grupo espanhol, controlador da CEG (Companhia Distribuidora de Gás do Rio Janeiro), aposta na universalização do gás natural como forma de levá-lo não só para indústrias e grande comércio, mas também para residências. "Esse é um nicho que ainda representa um grande mercado potencial no país e em nossa área de concessão", disse Armbrust.

Nos últimos 15 anos, a companhia investiu R$ 4,8 bilhões no país, em projetos que envolveram 68 municípios das áreas de concessão do grupo, com ampliação da rede de distribuição de 2 mil quilômetros para 6,6 mil quilômetros. "Ainda há muito por fazer. O gás natural só está presente em 25% do mercado residencial do Rio de Janeiro. Rio e São Paulo, áreas em que a Gas Natural Fenosa opera, têm uma taxa de uso de gás mais representativa. No conjunto do país, a taxa de penetração é de pouco mais de 3%", disse. A empresa tem 870 mil clientes até o fim de 2012 e atua em todo o Estado do Rio, por meio da Ceg e Ceg Rio, e no Sul do Estado de São Paulo.

De olho em potenciais mercados para expansão, o grupo também avalia segmentos ainda pouco desenvolvidos em comparação com outros países, como climatização, cogeração e GNV (Gás Natural Veicular) para veículos pesados (caminhões), que poderão trazer uma melhor perspectiva nos próximos anos a partir da introdução de mais estímulos, por conta de uma maior eficiência energética e para um crescimento sustentável.

No caso do serviço de distribuição de gás, Armbrust acredita que a perspectiva de aumento da oferta exigirá avanços no marco regulatório e no desenvolvimento de um plano energético nacional de longo prazo, que contribua para o desenvolvimento de infraestrutura capaz de absorver esse aumento de oferta. "Hoje, 26 distribuidoras operam no país, das quais quatro são conduzidas por operadores privados, como é o nosso caso. Essas distribuidoras, localizadas no Rio e São Paulo, têm metas de crescimento mais ousadas e buscam uma maior eficiência prevista pelo marco regulatório".

Com faturamento no Brasil em R$ 5,4 bilhões (€25 bilhões globalmente), a empresa também tem planos de crescimento na América Latina. O grupo prospecta um projeto "greenfield" (construção do zero) no Peru. A companhia está presente em 25 países.

"Mantemos uma grande confiança no potencial de crescimento sustentável que o Brasil deve experimentar nos próximos anos. Nossos acionistas estão convencidos de que ainda existem grandes oportunidades de negócios orgânicos e inorgânicos no país. O país representa 7% do resultado global da Gas Natural Fenosa e queremos ampliar essa participação", afirmou Armbrust. "A distribuição de gás canalizado é nosso "core business" no Brasil, mas estamos buscando oportunidades em outras áreas, como geração", afirmou.

Segundo Armbrust, há uma equipe montada avaliando como entrar em novos setores. "Nosso grupo é um líder energético em gás e energia e o 3º maior trader mundial de GNL Gás Natural Liquefeito. Acreditamos que nosso grupo representa uma grande oportunidade para o país e o país representa uma grande oportunidade para a nossa companhia".

Fonte: Mônica Scaramuzzo, Valor Econômico/Clipping Canal

Compartilhe este texto com seus amigos:
 



  Gasodutos
  Cogeração
  GNC

Informa Group
EXPOMAFE - Feira Internacional de Máquinas-Ferramenta

  CopyRight © GasNet - 2013