GasNet - O Site do Gás Natural e GNV    
Distribuição Produção Legislação Termelétricas GD - Geração Distribuída Novas Tecnologias Cursos & Eventos Instituições

Tenha o GasNet no seu celular

Disponível para iPhone na AppStore

Disponível para Android na GooglePlay

 
 
The Pipeline + Energy Expo
(4/4/2017 - 6/4/2017)
Cox Business Center, Tulsa, Oklahoma
PennWell

 
 
EXPOMAFE - Feira Internacional de Máquinas-Ferrame ...
(9/5/2017 - 13/5/2017)
São Paulo Expo Exhibition & Convention Center
Informa Exhibitions/Abimaq
Horários: 3ª a 6ª de 10 às 19h; Sábado de 9 às 17 h
Endereço: Rodovia dos Imigrantes Km 1,5

 
 
Power-Gen India & Central Asia
(17/5/2017 - 19/5/2017)
Pragati Maidan, New Delhi, India
PennWell

 
 
Atena Engenharia Leia as histórias do Netinho (nosso mascote) Acesse a nossa seção e saiba tudo sobre GNV Leia as histórias do Netinho (nosso mascote)
  Produção - Novidades Tecnológicas
  Autor/Fonte: Folha de S.Paulo
  Data: 10/09/2014

    Antes combustível, carvão mineral vira fertilizante


Produção com tecnologia inédita no país pode reduzir em 10% a importação, dizem fabricantes

 

As companhias Transgas, americana, e ThyssenKrupp, alemã, estão trazendo ao Brasil uma nova tecnologia para a produção de fertilizantes a partir do carvão mineral. A tecnologia extrai gás sintético, chamado de syngas, a partir do carvão. Desse gás, será possível produzir fertilizantes de amônia, como nitrato de amônia e ureia. Victor Adam, presidente da Transgas, afirma que a tecnologia, além de limpa, abre uma nova fronteira para o gás no Brasil.

 

O país dispõe de poucas reservas de gás natural e importa parte da demanda. No entanto, o custo da impotação é considerado alto. Para cada milhão de BTUs (unidade térmica utilizada para medir a quantidade de gás), o país paga cerca de US$ 11. A extração de gás do carvão mineral custa US$ 1 por milhão de BTUs. “Isso coloca o Brasil dentro de um seleto grupo de países que já iniciaram uma revolução na indústria carboquímica”, afirma.

 

Michael Kaiser, vice-presidente da divisão de engenharia da ThyssenKrupp, que é dona da tecnologia, afirma que o gás natural tende a diminuir sua importância como combustível, devido às dificuldades de exploração e alto custo. “Não é preciso buscar gás no pré-sal, estamos buscando no carvão que está a 30 metros de profundidade”, diz Kaiser.

 

A nova unidade será instalada em Santa Catarina, onde estão as maiores reservas de carvão mineral no país. Os executivos afirmam que o projeto consumirá US$ 3 bilhões, nos primeiros quatro anos, o período de implantação da fábrica. A expectativa das companhias é que o projeto comece a sair do papel em 2015.

 

Alta demanda

 

A fábrica visa suprir uma deficiência brasileira, a da produção de fertilizantes. Segundo dados da Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda), o país consumiu 31 milhões de toneladas de adubo em 2013. Deste total, 70% foram importados.

Compartilhe este texto com seus amigos:
 



  Gasodutos
  Cogeração
  GNC

Informa Group
EXPOMAFE - Feira Internacional de Máquinas-Ferramenta

  CopyRight © GasNet - 2013