GasNet - O Site do Gás Natural e GNV    
Distribuição Produção Legislação Termelétricas GD - Geração Distribuída Novas Tecnologias Cursos & Eventos Instituições

Tenha o GasNet no seu celular

Disponível para iPhone na AppStore

Disponível para Android na GooglePlay

 
 
Brasil Solar Power 2017
(5/7/2017 - 6/7/2017)
Centro de Convenções Sul América, RJ
Grupo CanalEnergia

 
 
Atena Engenharia Leia as histórias do Netinho (nosso mascote) Acesse a nossa seção e saiba tudo sobre GNV Leia as histórias do Netinho (nosso mascote)
  GD - Novidades Tecnológicas
  Autor/Fonte: Correio 24 Horas/Sindcomb Notícias
  Data: 27/11/2014

    Pesquisa testa gás de esgoto para gerar energia


O estudo ainda não foi concluído, mas a estimativa é que a energia elétrica gerada poderá atender a 80% da demanda da Estação de Tratamento de Esgoto

Você sabia que o esgoto gerado em sua casa pode ser transformado em energia? Sim, isso é possível. Uma pesquisa realizada na Bahia pela Coelba e pela Embasa, em parceria com a agência de cooperação alemã GIZ e a Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) já testa o uso do biogás captado do esgoto para gerar energia. O projeto piloto é realizado na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Jacuípe II, em Feira de Santana, que atende a 100 mil habitantes.


O estudo ainda não foi concluído, mas a estimativa é que  a energia elétrica gerada poderá atender a 80% da demanda da ETE. O tema Saneamento Básico foi discutido no Fórum Agenda Bahia, evento realizado pelo Correio 24 Houras e a CBN, em parceria com a Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb).

O processo funciona da seguinte forma: na decomposição do esgoto são liberados gases denominados de biogás, que tem entre os principais componentes o metano. Esse biogás é captado por reatores UASB (Upflow Anaerobic Sludge Blanket), uma espécie de biodigestor que converte a matéria orgânica em biogás através da digestão anaeróbia, e esse biogás é usado para geração de energia. Vale ressaltar que essa técnica só funciona em estações de tratamento que usam o processo anaeróbio. No Brasil, elas representam 90%.

De acordo com a gerente do projeto, a engenheira da unidade de eficiência energética da Coelba, Daniela Freitas, a pesquisa quer avaliar quanto custa instalar uma planta dessa no país e se é viável financeiramente. “A Coelba entra como agente de fomento para mostrar que a tecnologia existe e de que forma pode ser viável dentro da nossa tipologia de clima, além de ser mais uma alternativa de energia”, defende a especialista.

Efeito estufa

Como o impacto do metano é 21 vezes maior no efeito estufa do que o do gás carbonico, a técnica ainda evita a a degradação do meio ambiente. Pois, quando o esgoto é transformado em energia, esses gases deixam de contribuir para o efeito estufa. Isso mostra que, além de economizar no consumo da energia tradicional, o uso do biogás para geração de energia ainda traz benefícios ao meio ambiente. “Proporciona um ambiente mais interessante captar esse gás ao invés de lançá-lo no meio ambiente”, explica a engenheira.

Embora lá fora o método já venha apresentando resultados satisfatórios, a engenheira chama a atenção para as características locais. “Existem várias soluções amplamente utilizadas lá fora, mas não podemos trazer uma solução pronta, temos que adequá-la às nossas peculiaridades”, ressalta.

A engenheira acrescenta ainda que a tipologia do clima influencia muito no tratamento de esgoto. “O efluente que está tratando é outro fator que conta. Todos esses parâmetros vão determinar a carga orgânica que vai gerar o biogás. É isso que vai determinar quanto vai se conseguir gerar na estação”, explica Daniela Freitas.

O propósito dessa primeira planta é mensurar quanto que será possível produzir. “Pelo conteúdo de biogás que captamos nas primeiras amostras, a gente estimou que vai atender a 80% da demanda”, afirma a gerente do projeto.

Compartilhe este texto com seus amigos:
 



  Gasodutos
  Cogeração
  GNC

Informa Group
Banner Branco

  CopyRight © GasNet - 2013