GasNet - O Site do Gás Natural e GNV    
Distribuição Produção Legislação Termelétricas GD - Geração Distribuída Novas Tecnologias Cursos & Eventos Instituições

Tenha o GasNet no seu celular

Disponível para iPhone na AppStore

Disponível para Android na GooglePlay

 
 
FEIMEC - Feira Internacional de Máquinas e Equipam ...
(24/4/2018 - 28/4/2018)
São Paulo Expo Exhibition and Convention Center - Rod. dos Imigrantes Km 1,5
Informa Exhibitions

 
 
22nd International Conference and Exhibition on P ...
(22/5/2018 - 24/5/2018)
Marriott Houston Westchase, Houston, TX USA
PennWell Corporation

 
 
27th World Gas Conference
(25/6/2018 - 29/6/2018)
Washington, D.C.
IGU - International Gas Union
The World Gas Conference is held every three years in the country holding the Presidency of the Inte ...

 
 
Atena Engenharia Leia as histórias do Netinho (nosso mascote) Acesse a nossa seção e saiba tudo sobre GNV Leia as histórias do Netinho (nosso mascote)
  Produção - Novidades Tecnológicas
  Autor/Fonte: Agência Petrobras/TN Petróleo
  Data: 01/05/2015

    Tecnologia inédita no país reduz em 1 milhão de toneladas a emissão de CO² no pré-sal


Tecnologia reduz em 1 milhão de toneladas a emissão de CO² no pré-sal
 
Agência Petrobras Agência Petrobras

Desde 2011, na área de Tupi, no pré-sal da Bacia de Santos, o FPSO Cidade Angra dos Reis reduziu em 1 milhão de toneladas a emissão de CO² de sua operação. O feito só foi possível graças a uma tecnologia inédita no país de separação e injeção do dióxido de carbono que está em fase de teste no navio. A novidade foi apresentada durante o Congresso Brasileiro de CO², no Rio de Janeiro.

O evento foi promovido pelo Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP) e reuniu especialistas para discutir o uso de CO² em suas mais diversas aplicações e segmentos. No painel sobre novas tecnologias e operacionalização do CO² no pré-sal, Marcel Eiki Katekawa, consultor técnico da Petrobras, lembrou que o Brasil é pioneiro no desenvolvimento e uso de tecnologias para CO² em águas profundas. “Somos o único país reconhecido pela ISO para desenvolver normas e projetos nesta área”, frisou. 

Segundo Katekawa, o pré-sal representa um desafio enorme para o Brasil quando o assunto é desenvolvimento de tecnologia para sequestro de CO². “Na operação do pré-sal, encontramos um gás a 8%, enquanto que o recomendado é 2%. Por isso, temos muito o que fazer e desenvolver para minimizar esse impacto”, explica.

No primeiro dia do evento, Luiz Pinguelli Rosa, diretor da COPPE/UFRJ, também falou sobre o desafio brasileiro para redução da emissão de CO².  Para o físico brasileiro, o país vai conseguir atingir a meta estabelecida pela ONU com uma diminuição de 36% (1 bilhão de toneladas) em 2020. “Nos últimos dois anos, conseguimos reduzir o desmatamento e, consequentemente, a emissão de CO²”, explica. 

Além de Pinguelli e Katekawa, falaram o vice-presidente global de Energias Renováveis e Captura e Armazenamento de Carbono da Statoil, Olav Skalmeraas, a gerente geral do The Global Carbon Capture and Storage Institute (GCCSI), Elizabeth Burton, entre outros. Processo de separação e captura de CO² e carbodutos também foram assuntos discutidos no primeiro dia do evento.  "Acredito que o Congresso é um espaço importante para a troca de conhecimento e experiências", afirma Raimar van den Bylaardt, gerente de Gestão do Conhecimento do IBP e coordenador do evento. 

 

Fonte: Agência Petrobras/TN Petróleo, abr/2015

 

Compartilhe este texto com seus amigos:
 



  Gasodutos
  Cogeração
  GNC

Informa Group
FEIMEC - Feira Internacional de Máquinas e Equipamentos 2018

  CopyRight © GasNet - 2013