GasNet - O Site do Gás Natural e GNV    
Distribuição Produção Legislação Termelétricas GD - Geração Distribuída Novas Tecnologias Cursos & Eventos Instituições

Tenha o GasNet no seu celular

Disponível para iPhone na AppStore

Disponível para Android na GooglePlay

 
 
FEIMEC - Feira Internacional de Máquinas e Equipam ...
(24/4/2018 - 28/4/2018)
São Paulo Expo Exhibition and Convention Center - Rod. dos Imigrantes Km 1,5
Informa Exhibitions

 
 
22nd International Conference and Exhibition on P ...
(22/5/2018 - 24/5/2018)
Marriott Houston Westchase, Houston, TX USA
PennWell Corporation

 
 
27th World Gas Conference
(25/6/2018 - 29/6/2018)
Washington, D.C.
IGU - International Gas Union
The World Gas Conference is held every three years in the country holding the Presidency of the Inte ...

 
 
Atena Engenharia Leia as histórias do Netinho (nosso mascote) Acesse a nossa seção e saiba tudo sobre GNV Leia as histórias do Netinho (nosso mascote)
  Geral - Reportagens
  Autor/Fonte: UOL/Abegás
  Data: 08/06/2016

    Exxon pode investir mais de US$ 10 bi no xisto da Argentina


A Exxon Mobil poderá investir mais de US$ 10 bilhões na formação de xisto de Vaca Muerta, na Argentina, nas próximas décadas, disse o presidente do conselho e CEO da empresa, Rex Tillerson, em 02 de junho de 2016.

Até o momento, a gigante do petróleo investiu US$ 200 milhões no segundo maior depósito de gás de xisto do mundo, disse Tillerson, após reunir-se com o presidente argentino, Mauricio Macri, em Buenos Aires. A Exxon recebeu aprovação para investir mais US$ 250 milhões em um projeto piloto nos próximos meses.

Se o projeto piloto for bem-sucedido a empresa iniciará o desenvolvimento pleno durante um período de 20 a 30 anos, que poderia envolver investimento adicional "bem superior a US$ 10 bilhões", disse ele.

Para Tillerson, a vasta região de xisto argentina de Vaca Muerta representa uma oportunidade de reverter os prejuízos com a produção e somar reservas após uma aposta errada de US$ 35 bilhões no gás natural dos EUA e um empreendimento de exploração russo prejudicado pelas sanções internacionais ao país.

A Exxon, maior exploradora de petróleo do mundo em valor de mercado, designou Vaca Muerta como uma das nove "principais áreas de atividade" no Hemisfério Ocidental e uma das quatro, apenas, na América do Sul, segundo dados da empresa.

Novo governo

Macri vem cortejando corporações internacionais como Total, Dow Chemical e Coca-Cola a investirem na Argentina desde que assumiu a presidência em dezembro de 2015.

A Exxon, cuja receita anual só não é maior do que a produção econômica de 45 países no mundo, está construindo uma planta para separar impurezas do gás natural, além de uma rede de dutos para manipular a produção de seus poços de Vaca Muerta.

"Estou muito animado com as mudanças que ocorreram aqui na Argentina, com a mudança de governo", disse Tillerson, segundo comunicado do governo argentino.

A produção mundial de petróleo e gás da Exxon é menor do que quando Tillerson iniciou sua gestão como CEO há uma década.

Em 2015, a empresa, que tem raízes nos anos 1880 e na Standard Oil Trust de John D. Rockefeller, foi incapaz, pela primeira vez em 22 anos, de substituir com novas descobertas todas as fontes de petróleo e gás que bombeava. Em abril, a S&P Global Ratings retirou da Exxon a classificação de crédito dourada que a empresa mantinha desde a Grande Depressão.

Tillerson chegará à idade de aposentadoria compulsória da Exxon, de 65 anos, em março de 2017. Em um encontro realizado em 25 de maio de 2016 com jornalistas após a reunião anual da empresa, em Dallas, nos EUA, ele preferiu não dizer se tentaria prolongar sua gestão no conselho.

Vaca Muerta é um dos principais campos de xisto do mundo, cobrindo uma área do tamanho da Bélgica, e é considerada fundamental para o restabelecimento da autossuficiência energética na Argentina.

 

Fonte: UOL/Abegás, jun/2016

 

Compartilhe este texto com seus amigos:
 



  Gasodutos
  Cogeração
  GNC

Informa Group
FEIMEC - Feira Internacional de Máquinas e Equipamentos 2018

  CopyRight © GasNet - 2013