GasNet - O Site do Gás Natural e GNV    
Distribuição Produção Legislação Termelétricas GD - Geração Distribuída Novas Tecnologias Cursos & Eventos Instituições

Tenha o GasNet no seu celular

Disponível para iPhone na AppStore

Disponível para Android na GooglePlay

 
 
Brasil Solar Power 2017
(5/7/2017 - 6/7/2017)
Centro de Convenções Sul América, RJ
Grupo CanalEnergia

 
 
Atena Engenharia Leia as histórias do Netinho (nosso mascote) Acesse a nossa seção e saiba tudo sobre GNV Leia as histórias do Netinho (nosso mascote)
  Geral - Atualidades
  Autor/Fonte: Gerência de Imprensa Petrobras
  Data: 10/08/2016

    Acelera-se o programa de desivestimentos da Petrobras


 

Petrobras anunciou na sexta-feira (29/07) a venda, por US$ 2,5 bilhões, de 66% de participação no bloco exploratório BM-S-8, onde está localizada a área de Carcará, no pré-sal da Bacia de Santos, para a estatal norueguesa Statoil

Os diretores de Finanças e de Relações com Investidores, Ivan Monteiro, e de Exploração e Produção, Solange Guedes, explicaram que operação se baseia numa estratégia de gestão do portfolio da Petrobras que tem como objetivo priorizar ativos que permitam à empresa manter a padronização de equipamentos para reduzir o custo de investimento, ao mesmo tempo em que busca ativos que gerem receita no curto prazo, a fim de melhorar o perfil da dívida da companhia. Eles ressaltaram também a importância da operação para a alcançar a meta de parcerias e desinvestimentos de US$ 15,1 bilhões no período 2015-2016.

A venda anunciada é a maior fusão e aquisição realizada entre empresas no segmento de exploração de petróleo e gás da história e é o segundo maior negócio desse tipo, no país, este ano.

A operação não terá impacto nas reservas ou na produção da companhia no curto prazo. “Não existem reservas associadas a esse ativo e a produção aconteceria em meados da próxima década”, explicou a diretora, na entrevista coletiva em São Paulo, que concedeu com Ivan Monteiro.

Monteiro reafirmou que mantém a meta de parcerias e desinvestimentos para esse ano e que trabalhará “incansavelmente” para alcançá-la. No mesmo evento, Solange Guedes explicou que o bloco vendido ainda está em fase de exploração (anterior à extração de petróleo) e exigia investimentos que a companhia, tendo um portfolio variado, pode destinar a campos que estão produzindo ou vão produzir num prazo mais curto.

A diretora também destacou a importância da consolidação da parceria com a norueguesa. Ela ressaltou a semelhança de perfil e histórico entre as duas empresas, ambas de origem estatal e com forte compromisso com seus países de origem: “A Statoil representa muito para nós. Somos parceiros tecnológicos de longa data e há bastante tempo temos a ambição de trazê-la para essa parceria estratégica”.

O BM-S-8 é atualmente operado por Petrobras (66%), Petrogal (14%), Queiroz Galvão Exploração e Produção SA (10%) e Barra Energia do Brasil Petróleo e Gás Ltda. (10%). Os parceiros da Petrobras poderão exercer direito de preferência na operação, o que quer dizer que podem decidir comprar a participação da Petrobras no mínimo pelo mesmo valor ofertado pela Statoil.

Além dos US$ 2,5 bilhões anunciados hoje, Monteiro revelou que já entraram no caixa da Petrobras aproximadamente US$ 700 milhões pela venda do controle da subsidiária Gaspetro para a japonesa Mitsui em dezembro de 2015 e de aproximadamente US$ 900 milhões pela venda do controle da Petrobras Argentina para a empresa Pampa. Outros US$ 464 milhões são esperados pela venda da Petrobras Chile para a Southern Cross Group anunciada essa semana, contabilizou o executivo.

Gerência de Imprensa Petrobras

Compartilhe este texto com seus amigos:
 



  Gasodutos
  Cogeração
  GNC

Informa Group
Banner Branco

  CopyRight © GasNet - 2013