GasNet - O Site do Gás Natural e GNV    
Distribuição Produção Legislação Termelétricas GD - Geração Distribuída Novas Tecnologias Cursos & Eventos Instituições

Tenha o GasNet no seu celular

Disponível para iPhone na AppStore

Disponível para Android na GooglePlay

 
 
FEIMEC - Feira Internacional de Máquinas e Equipam ...
(24/4/2018 - 28/4/2018)
São Paulo Expo Exhibition and Convention Center - Rod. dos Imigrantes Km 1,5
Informa Exhibitions

 
 
Atena Engenharia Leia as histórias do Netinho (nosso mascote) Acesse a nossa seção e saiba tudo sobre GNV Leia as histórias do Netinho (nosso mascote)
  Termelétricas - Artigos
  Autor/Fonte: Brasil Energia / Abegás
  Data: 18/10/2017

    Gastrading: Empresa espera obtenção de licença para projeto térmico até o fim de 2017


A Gastrading espera obter a licença prévia para o projeto Verde Atlântico Energia, em Peruíbe (SP), até o fim de 2017, após a realização da última audiência pública sobre a construção do complexo. O presidente da empresa, Alexandre Chiofetti, disse à Brasil Energia, no entanto, que tudo depende da avaliação da Cetesb, responsável pela emissão da licença.

Com investimentos de R$ 5,5 bilhões, o empreendimento inclui uma térmica de 1,7 mil MW de capacidade instalada vinculada a um terminal de regaseificação de GNL. Chiofetti adiantou que, caso consiga a licença no prazo esperado, a térmica poderá entrar em leilões de energia em 2018.

Desde o meio do ano, a empresa vem tentando a aprovação do estado. Em agosto, o Ministério Público Federal (MPF) em São Paulo decidiu abrir uma investigação sobre a usina. De acordo com o MPF, o projeto chamou a atenção dos órgãos de controle por seu grande potencial de causar impactos ambientais e sociais na região. Porém, o presidente da empresa disse que o trabalho tem sido bem detalhado e disse que o entrave à sua aprovação é a realização da audiência pública que ainda está pendente. Temos confiança que o estudo ambiental foi bem executado, afirmou ele.

O executivo disse o que projeto pode beneficiar 1,7 milhão de pessoas do litoral paulista, uma vez que o terminal de GNL, com capacidade de regaseificar 20 milhões de m³/dia, poderá também enviar o excedente do gás para a outras cidades do estado. Com isso, o sistema energético da baixada santista passa a ser exportador, invertendo o fluxo do gás, que hoje sai da região central do estado, explicou.

 

Fonte: Brasil Energia – (05.10.2017) 

Compartilhe este texto com seus amigos:
 



  Gasodutos
  Cogeração
  GNC

Informa Group
FEIMEC - Feira Internacional de Máquinas e Equipamentos 2018

  CopyRight © GasNet - 2013