GasNet - O Site do Gás Natural e GNV    
Distribuição Produção Legislação Termelétricas GD - Geração Distribuída Novas Tecnologias Cursos & Eventos Instituições

Tenha o GasNet no seu celular

Disponível para iPhone na AppStore

Disponível para Android na GooglePlay

 
 
Deepwater Operations
(6/11/2018 - 8/11/2018)
Moody Gardens Hotel & Convention Center, Galveston, TX USA
PennWell Petroleum Group

 
 
EXPOMAFE — Feira Internacional de Máquinas-Ferram ...
(7/5/2019 - 11/5/2019)
São Paulo Expo Exhibition & Convention Center, Rodovia dos Imigrantes Km 1,5
Informa Exhibitions/Abimaq


 
 
Atena Engenharia Leia as histórias do Netinho (nosso mascote) Acesse a nossa seção e saiba tudo sobre GNV Leia as histórias do Netinho (nosso mascote)
  Termelétricas - Reportagens
  Autor/Fonte: Pedro Aurélio Teixeira / CanalEnergia
  Data: 19/08/2018

    Siemens aposta forte na transição energética do Brasil


Empresa é uma das sócias no complexo térmico do Porto do Açu

Com uma aposta forte no Brasil, a Siemens vê na transição energética uma boa fonte de oportunidades. Em entrevista a jornalistas, o presidente da empresa, André Clark, reforçou as intenções no Brasil da fabricante de equipamentos e soluções e classificou o Rio de Janeiro como a capital dessa transição. Nos próximos cinco anos, a empresa pretende investir um bilhão de euros no país. De acordo com ele, há um encontro de players de óleo e gás em direção ao setor elétrico que aliado a um movimento de investimentos em energia eólica e biomassa, tornam a previsão realidade. Essa transição energética pode gerar um impulso de investimentos importantes no Brasil, afirma.

A Siemens é uma das investidoras das duas usinas térmicas do Porto do Açu, no Rio de Janeiro. As outras são a British Petróleo e a Prumo Logística. As UTEs GNA I e II fazem parte de um hub de gás que é composto de seis usinas, restando ainda quatro para serem viabilizadas. Segundo Clark, a empresa está nesse complexo térmico desde 2014, quando ainda nem havia contrato firmado. É um programa grande de investimento. A intenção ali é dar visibilidade ao Porto, que é um hub de gás, avisa. Para o próximo leilão A-6, ele acredita que haverá uma forte disputa, devido à demanda. A Siemens também conversa com outros empreendedores para ser fornecedora de projetos térmicos que vão participar do leilão.

O executivo acredita que a velocidade dessa transição energética será bastante rápida, uma vez que o consumidor estará mais exigente sobre os aspectos da qualidade e segurança da energia que ele vai consumir, se será limpa ou não. Outro aspecto que ele aponta é que as mudanças climáticas e as metas do acordo de Paris também vão acelerar esse processo. A velocidade vai ser surpreendente maior hoje do que se acha hoje, observa. Segundo Clark, haverá um grande impacto na vida urbana no país, já que cerca de 50% da população está concentrada em algumas capitais.

Na visão de Clark, o país precisa vencer o desafio da educação, que vai permitir que cada vez mais saiam já qualificados das suas escolas. Ele insiste nesse tema por acreditar que esse movimento pode criar muitas vagas de empregos no Brasil, principalmente na área de softwares.

Mesmo com o cenário de renováveis se inserindo cada vez mais, ele ainda vê o petróleo como fundamental nos próximos anos e o gás como um viabilizador de renováveis. A Siemens no país tem 7 centros de pesquisa e 13 fábricas. A área de energia tem dois centros, um em Belo Horizonte, e outro em Curitiba. No Rio de Janeiro, fica o centro de pesquisa em Petróleo e Gás. Ele reforça que a capital carioca é o local ideal para se discutir a transição energética, já que a cidade é a sede da Eletrobras, EPE, ONS, UFRJ, além da própria Petrobras. Grande parte da comunidade elétrica está aqui, aponta o executivo, que promoveu o III Fórum Siemens realizado em 15 de agosto de 2018, no Rio de Janeiro.

 

Fonte: CanalEnergia News Diária (15/08/2018)

Compartilhe este texto com seus amigos:
 



  Gasodutos
  Cogeração
  GNC

Informa Group
Banner Lilás

  CopyRight © GasNet - 2013