GasNet - O Site do Gás Natural e GNV    
Distribuição Produção Legislação Termelétricas GD - Geração Distribuída Novas Tecnologias Cursos & Eventos Instituições

Tenha o GasNet no seu celular

Disponível para iPhone na AppStore

Disponível para Android na GooglePlay

 
 
Seminário Internacional - Mobilidade a Gás Natural ...
(22/11/2018 - 23/11/2018)
Hotel Hilton Copacabana – Av. Atlântica 1020
Abegás/Gas Natural Fenosa
Evento 100% dedicado ao mercado de GNV
Objetivo:
Apresentar as soluções tecnológicas e os b ...

 
 
Asset Management, Operational Excellence Forum for ...
(29/11/2018 - 30/11/2018)
Bilderberg Garden Hotel, Amsterdam, Netherlands
Informa Exhibitions
"Maintenance for Oil and Gas Petrochemical Europe"
The Asset Management and Operational Excelle ...

 
 
Global Forum on Procurement and Supply Chain Manag ...
(24/1/2019 - 25/1/2019)
Amsterdam, Netherlands
Informa Exhibitions
Global Forum on Procurement and Supply Chain Management for the Oil and Gas Industry has encountere ...

 
 
Atena Engenharia Leia as histórias do Netinho (nosso mascote) Acesse a nossa seção e saiba tudo sobre GNV Leia as histórias do Netinho (nosso mascote)
  Geral - Express
  Autor/Fonte: TN Petróleo/Reuters
  Data: 28/08/2018

    Fusões no setor de óleo e gás do Brasil crescem 170% no 1º semestre, diz KPMG


O Brasil teve 38 operações de fusões e aquisições na indústria de óleo e gás no primeiro semestre de 2018, alta de 170 por cento na comparação anual, disse a KPMG em 24 de agosto de 2018.

De acordo com a empresa de auditoria e assessoria financeira, a quantidade, em apenas se aproxima do recorde de 40 negócios fechados em todo o ano de 2001. Em 2017, foram 28.

"Acho que o primeiro ponto (para esse aumento) é a gestão do governo nas rodadas de licitações, tanto na parte de concessão, quanto na de partilha. O governo tem feito uma agenda mais forte desde 2017", afirmou Paulo Guilherme Coimbra, sócio da KPMG.

"Tem também o fato de mudanças regulatórias. Isso facilitou muito o destravamento da parte de partilha e ajudado a atrair grandes operadores internacionais", acrescentou, citando a não exigência de operador único e novas regras de conteúdo local, além da própria alta do petróleo no mercado internacional.

A reguladora ANP permitiu em abril que petroleiras adotem em contratos antigos novas regras de conteúdo local, consideradas mais simples e flexíveis pelo mercado.

Grandes empresas, incluindo Petrobras, Exxon Mobil e Equinor aderiram a essas regras, ao passo que o governo projetou um aporte de 16 bilhões de dólares em Libra, no pré-sal da Bacia de Santos, após as mudanças.

Em paralelo, o governo fez dois grandes leilões de petróleo no primeiro semestre, um sob regime de concessão e outro sob regime de partilha de produção.

Para setembro está marcado mais um certame, envolvendo áreas do pré-sal, enquanto também há a expectativa de um leilão da chamada cessão onerosa para novembro.

Coimbra diz que há riscos à manutenção desse ritmo de fusões, diante de incertezas eleitorais e cambiais, mas não prevê grandes impactos nas regras já "estruturadas".


 

Compartilhe este texto com seus amigos:
 



  Gasodutos
  Cogeração
  GNC

Informa Group
Banner Lilás

  CopyRight © GasNet - 2013