GasNet - O Site do Gás Natural e GNV    
Distribuição Produção Legislação Termelétricas GD - Geração Distribuída Novas Tecnologias Cursos & Eventos Instituições

Tenha o GasNet no seu celular

Disponível para iPhone na AppStore

Disponível para Android na GooglePlay

 
 
Global Forum on Procurement and Supply Chain Manag ...
(24/1/2019 - 25/1/2019)
Amsterdam, Netherlands
Informa Exhibitions
Global Forum on Procurement and Supply Chain Management for the Oil and Gas Industry has encountere ...

 
 
LNG Bunkering Summit
(30/1/2019 - 31/1/2019)
Amsterdam, Netherlands
Informa Exhibitions
"Conference focus on aligning the LNG business case for ports, shipping operators"
LNG Bunkerin ...

 
 
EXPOMAFE — Feira Internacional de Máquinas-Ferram ...
(7/5/2019 - 11/5/2019)
São Paulo Expo Exhibition & Convention Center, Rodovia dos Imigrantes Km 1,5
Informa Exhibitions/Abimaq


 
 
Atena Engenharia Leia as histórias do Netinho (nosso mascote) Acesse a nossa seção e saiba tudo sobre GNV Leia as histórias do Netinho (nosso mascote)
  Produção - Atualidades
  Autor/Fonte: Valor Online
  Data: 23/12/2018

    Petróleo desaba a mínimas em um ano com temor sobre oferta


 

Os preços do petróleo tombaram a novas mínimas em mais de um ano no dia 18/12/2018, empurrados por receios de excesso de oferta em meio à falta de clareza sobre os impactos dos cortes de produção prometidos, num momento já de preocupações com a demanda por energia, diante das evidências de desaceleração do crescimento econômico global.

O mercado se ressente de sinais de aumento de produção nos Estados Unidos e na Rússia, dois dos maiores produtores do mundo.

Em Nova York, o contrato do petróleo WTI (fevereiro) fechou em queda de 7,17%, a US$ 46,60 o barril. O patamar é o mais baixo desde 30 de agosto de 2017 (US$ 45,96). Em Londres, o Brent (fevereiro) recuou 5,62%, a US$ 56,26 o barril, mínima desde 12 de outubro de 2017 (US$ 56,25). Desde a máxima alcançada no começo de outubro, o petróleo WTI já recua 39,01% e o Brent cede 34,80%.

Há muita incerteza dos dois lados da equação para o petróleo, diz Rob Thummel, que administra ativos de energia na Tortoise Advisors. É como trens de carga. É difícil parar quando você está indo para uma direção, completa.

Dados do Departamento de Energia dos EUA mostraram, no dia 17/12/2018, que a estimativa de produção de petróleo xisto americano subirá em 134 mil barris por dia a partir de dezembro, alcançando 8,17 milhões de barris por dia em janeiro.

Já a Rússia informou que sua produção diária de petróleo saltou em dezembro para um recorde de 11,42 milhões de barris.

Parece que estão aumentando as dúvidas, no mercado, de que a Rússia cortará de fato a produção a partir de janeiro, conforme acertado com a Opep, dizem analistas do Commerzbank em nota. O mais provável é que leve alguns meses até que a Rússia implemente de forma integral esses cortes.

A Opep e aliados, incluindo a Rússia, anunciaram em 7 de dezembro que reduzirão em 1,2 milhão de barris por dia a produção. Inicialmente, o acordo deu impulso às cotações do petróleo, mas fracassaram em sustentar os preços, com ceticismo sobre se o volume a ser reduzido será suficiente para reequilibrar demanda e oferta.

E, mesmo com os cortes previstos, os estoques de petróleo deverão continuar em alta em 2019, diz Michael Hewson, analista-chefe de mercado da corretora CMC Markets. Vai levar um pouco mais de tempo para que essa sobra de petróleo comece a ser ‘consumida’ pelos cortes.

 

Fonte: Valor Online

 
Compartilhe este texto com seus amigos:
 



  Gasodutos
  Cogeração
  GNC

Informa Group
EXPOMAFE 2019

  CopyRight © GasNet - 2013