GasNet - O Site do Gás Natural e GNV    
Distribuição Produção Legislação Termelétricas GD - Geração Distribuída Novas Tecnologias Cursos & Eventos Instituições

Tenha o GasNet no seu celular

Disponível para iPhone na AppStore

Disponível para Android na GooglePlay

 
 
Atena Engenharia Leia as histórias do Netinho (nosso mascote) Acesse a nossa seção e saiba tudo sobre GNV Leia as histórias do Netinho (nosso mascote)
  GNC - Artigos
  Autor/Fonte: TN Petróleo/Sindcomb Notícias
  Data: 05/08/2010

    White Martins investe em estação de compressão em Pernambuco


A White Martins vai construir, em Caruaru (PE), uma unidade de compressão de Gás Natural para atender à crescente demanda de indústrias da região por um combustível mais econômico e de menor impacto ambiental. A previsão é de que a unidade inicie suas operações em outubro de 2010.

Na estação, o gás natural será comprimido e enviado para clientes por meio de carretas. O primeiro contrato de fornecimento foi fechado com a Acumuladores Moura, fabricante de baterias automotivas. A empresa, situada em Belo Jardim, a cerca de 60 km de Caruaru, vai usar o Gás Natural Comprimido (GNC) em substituição ao Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) e o óleo combustível usados em seu processo industrial.

Outra indústria da região que também se beneficiará com o GNC é a Galvanisa. O gás natural será usado nos queimadores da cuba de galvanização, que a empresa instalará em sua unidade, situada em Carpina, a cerca de 100 Km de Caruaru.

 

“O potencial da região é muito grande, dado o crescimento da economia local e a existência de importantes indústrias, afirma Marcelo Rodrigues, diretor executivo da White Martins. “Essas empresas podem se beneficiar com o uso do gás natural que tem vantagens sobre outros combustíveis, como uma maior economia e menor impacto ambiental”, diz.

 

Gasoduto

 

A White Martins também participou da obra do gasoduto que irá levar o gás natural do Recife para Caruaru. A empresa, por meio de seu Grupo de Serviços Industriais, foi contratada para realizar o serviço de secagem dos dutos, uma das etapas finais da obra.

 

Para essa operação, a companhia utilizou nitrogênio, que foi bombeado para dentro do gasoduto, de forma a retirar a água usada em testes hidrostáticos, que verificam a existência de vazamentos. O nitrogênio em forma líquida (mantido em tanques criogênicos a uma temperatura de – 180 ° C) é vaporizado e injetado no duto, promovendo a sua secagem.

 

 

Fonte: TN Petróleo/Sindcomb Notícias, julho/10

Compartilhe este texto com seus amigos:
 



  Gasodutos
  Cogeração
  GNC

Informa Group
Banner Branco

  CopyRight © GasNet - 2013