GNL 19 janeiro 2021

Grupo americano comprou a Hygo Energy e outras empresas por US$5 bi

A americana New Fortress Energy (NFE) fez uma aposta firme no mercado brasileiro de gás, que passa por um processo de abertura a novas empresas e promete várias oportunidades a investidores nos próximos anos.

A companhia anunciou ontem uma série de negócios: comprou as empresas Hygo Energy, Golar LNG Partners e CH4 Energia e também firmou acordos envolvendo usinas termelétricas a gás da BR Distribuidora e da chinesa CCETC. Com valor somado de pelo menos US$ 5 bilhões, as operações marcam a entrada do grupo no Brasil e o consolidam como um dos maiores do país em projetos gas-to-power (que integram de gás e energia elétrica).

O grande anúncio foi a aquisição da Hygo Energy, antigamente conhecida como Golar Power. Joint Venture entre a norueguesa Golar LNG Limited e a gestora americana Stonepeak, a Hygo é um dos principais atores do mercado de gás natural liquefeito (GNL) no Brasil e desenvolve projetos integrados de gás e geração de energia. A transação, que avalia a Hygo em US$ 3,1 bilhões, envolve um pagamento de US$ 580 milhões em dinheiro e outra parcela em ações.


Com o negócio, a New Fortress Energy acrescenta a seu portfólio três terminais de GNL e projetos gas-to-power, que somam 2,7 gigawatts (GW). Desse total, 1,5 GW vem de um empreendimento no Porto de Sergipe, que combina uma unidade flutuante de armazenamento e regaseificação de GNL (FSRU) e uma usina termelétrica operacional, a Celse, com 50% de participação da Hygo. Já o 1,2 GW restante se refere a dois terminais FSRUs, em Santa Catarina e no Pará, que estão em estágio avançado de desenvolvimento.

O grupo também fechou acordo para adquirir a Golar LNG Partners. A transação avalia a Golar LNG Partners em US$ 1,9 bilhão e adiciona ao rol de ativos da New Fortress Energy uma frota de seis FSRUs e quatro navios transportadores de GNL, além de uma participação de 50% nos trens 1 e 2 do Hilli, navio de liquefação flutuante.

As operações já foram aprovadas nos conselhos de administração das empresas, mas ainda dependem de aprovações regulatórias e outras condições habituais. A expectativa é de que os negócios sejam concluídos no primeiro semestre deste ano.

Em outro anúncio no Brasil, a americana assinou um memorando de entendimentos para a aquisição de 288 MW em contratos de compra e venda de energia (“PPAs”) de duas usinas termelétricas na Bahia: Pecém Energia S.A. e Energética Camaçari Muricy II, com controle dividido entre BR Distribuidora e a CCETC. Nesse caso, a assinatura definitiva de compra dos ativos ainda está sujeita à aprovação final do conselho de administração da BR.

Com a posse dos 288 MW em contratos de longo prazo, a companhia tem planos de construir um projeto gas-to-power totalmente novo no complexo industrial e portuário de Suape, em Ipojuca (PE). Para isso, adquiriu também a CH4 Energia, empresa catarinense que possui licenças e autorizações para desenvolver o terminal de GNL e uma térmica de 1,37 GW de potência em Suape.

A operação com a CH4 e os acordos firmados com a BR não tiveram seus valores divulgados.

As mudanças nos empreendimentos estão ainda pendentes do aval da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e outros órgãos competentes. A expectativa é de que o projeto no Porto de Suape possa entrar em operação comercial até o fim de 2022.

Nosso terminal de GNL e usina a gás irão acelerar a transição para uma energia limpa no Estado de Pernambuco e na região Nordeste. O negócio, junto com a aquisição da Hygo, nos fornece um portfólio significativo de ativos de energia e gás e posição de liderança no grande e crescente mercado brasileiro, disse Wes Edens, chairman e CEO do grupo.

Fundada em 2014 por Edens, a New Fortress Energy é uma companhia global que constrói e opera infraestruturas de GNL e de energia, com o objetivo de acelerar o processo de transição energética para fontes limpas. A empresa tem também um braço focado em hidrogênio verde. Abriu capital na Nasdaq em 2019.

Além dos Estados Unidos, o grupo tem atuação na Europa e na América Latina e Caribe. Antes dos anúncios no Brasil, detinha cinco terminais de GNL na Jamaica, Porto Rico, México e Nicarágua. Agora, seu portfólio conta com nove terminais. A expectativa é continuar expandindo esse número ao longo deste ano, chegando ao fim de 2021 com 15 a 20 terminais de GNL.

 

Fonte: Valor (17/01/2021)N