GNV Carlos Eduardo Biagini 09 fevereiro 2021

Primeiro ônibus rodoviário a gás do Brasil

É um momento singular para Scania, Gerdau, Turis Silva e Marcopolo. Todas entram para a história com a apresentação desta solução mais sustentável. O planeta e a sociedade estão clamando por alternativas ao diesel e esta tecnologia é a ideal para a realidade do mercado brasileiro. Temos certeza absoluta que é o primeiro de muitos, salienta Fábio D´Angelo, gerente de Vendas de Soluções para Mobilidade da Scania no Brasil.

Queremos construir, em parceria com nossa cadeia de fornecimento, um futuro mais sustentável, e contribuir com o desenvolvimento da mobilidade urbana a partir da adoção de produtos e soluções inovadoras. Nesses 120 anos de história da Gerdau, sempre consideramos a sustentabilidade um dos eixos centrais do nosso modelo de negócios, afirma Vinicius Moura, gerente geral de suprimentos da Gerdau.

A Gerdau nos procurou há dois anos para colocar na frota alternativas sustentáveis. Este momento, enfim, chegou. Estamos muito animados e emocionados para esta pioneira operação. Não dará mais para continuar tendo o diesel como matriz única. Cresce a cada dia os pedidos de contratantes para termos produtos mais verdes, e a sustentabilidade é um caminho sem volta. Tenho convicção que será o primeiro de muitos ônibus a gás para o fretamento, diz Jaime Silva, fundador e proprietário da Turis Silva Transportes. O empresário também é o presidente da Associação Nacional dos Transportadores de Turismo e Fretamento (Anttur). A empresa tem 31 anos de mercado, sede em Porto Alegre, presta serviços de fretamento contínuo e eventual, perfila 54 ônibus Scania e vem aumentando a participação da marca a cada ano em sua frota. Em 2020, adquiriu sete chassis da fabricante, além do modelo a gás.

Com sistema de áudio e vídeo, o modelo se destaca pelo elevado padrão de conforto, comodidade e segurança que oferece para os usuários, além de menores custos operacionais e de manutenção para o cliente, conta Leandro Sodré, gerente nacional de Vendas Marcopolo.

O modelo K 320 4x2 tem propulsor traseiro Euro 6 (o Brasil está na lei de emissões Euro 5) de 320 cavalos de potência. Seu motor é Ciclo Otto (o mesmo conceito dos automóveis) e movido 100% a gás e biometano, ou mistura de ambos. Não é  convertido do diesel para o gás, tem garantia de fábrica, tecnologia confiável e segura, desempenho consistente e força semelhante ao similar a diesel, além de ser mais silencioso. Neste momento, é o ideal para o Aqui e Agora, pois se enquadra nos três pilares sustentáveis: econômico, social e ambiental. Foram instalados oito cilindros de gás na lateral dianteira com uma autonomia de 300 km. Caso um cliente deseje autonomia maior, é possível avaliar a colocação de mais cilindros. Não são necessárias alterações significativas nos projetos das carrocerias.

A segurança é total em caso de acidentes ou explosão. Os cilindros e válvulas são certificados pelo Inmetro (em conformidade com a lei). São três válvulas (vazão, pressão e temperatura) que liberam o gás em caso de anomalia em um destes três quesitos. Os cilindros são extremamente robustos (o material é de ogivas de mísseis). Em caso de incêndio ou batida o gás é liberado para a atmosfera e se dissolve sem perigo de explosão ao contrário de um veículo similar abastecido a diesel que é mais perigoso, pois o líquido fica no chão ou pode se espalhar ao longo da carroceria.

A Marcopolo escolheu a carroceria Paradiso New G7 1050 para equipar o ônibus histórico. Ele conta com equipamentos e acessórios para garantir o máximo conforto, comodidade e segurança aos clientes, como acesso à internet, TV digital a bordo, poltronas semileito, sistema de monitoramento por câmeras, tomadas USB individuais, sistema de ar-condicionado e monitores no salão de passageiros. O modelo ainda conta com diferentes soluções da plataforma Marcopolo BioSafe, como sanitário e sistema de ar-condicionado com lâmpadas UV-C para desinfecção dos ambientes; cortinas com material antimicrobianas, e dispenser de álcool em gel na entrada da escada de acesso. A capacidade é para transportar 44 passageiros. 

 

Fonte: Assessoria de Imprensa Scania
Carlos Eduardo Biagini