GNV Sindcomb Notícias/Reuters 11 fevereiro 2021

Amazon encomenda centenas de caminhões movidos a gás natural

AAmazon encomendou centenas de caminhões que funcionam com gás natural comprimido, enquanto testa maneiras de mudar sua frota americana de caminhões mais poluentes, informou a empresa à Reuters.

A pandemia de coronavírus causou um aumento na atividade de entrega em 2020, com os volumes de caminhões excedendo os níveis de 2019 em média, enquanto o tráfego de automóveis de passageiros diminuiu. Mas esse aumento na atividade rodoviária significa mais poluição, pois os caminhões mais pesados ​​emitem níveis mais altos de gases do efeito estufa do que os veículos de passageiros.

As empresas de transporte estão construindo suas frotas de veículos elétricos para reduzir as emissões de carbono. Grande parte da carga nacional é entregue em caminhões médios e pesados, que respondem a mais de 20% das emissões de gases de efeito estufa da indústria, embora representem menos de 5% da frota rodoviária, de acordo com dados federais dos EUA.

A Amazon está entusiasmada com a introdução de novas soluções sustentáveis ​​para transporte de carga e está trabalhando no teste de uma série de novos tipos de veículos, incluindo elétricos, GNV e outros, disse a empresa em um comunicado.

A gigante varejista encomendou mais de 700 caminhões de gás natural comprimido classe 6 e classe 8 até agora, de acordo com a empresa.

As vendas da empresa, que planeja operar um negócio neutro em carbono até 2040, aumentaram 38% em 2020.

Amazon e os caminhões elétricos

Os motores, fornecidos por uma joint venture entre a Cummins e a Westport Fuel Systems, com sede em Vancouver, no Canadá, devem ser usados ​​em caminhões pesados ​​da Amazon que vão de depósitos a centros de distribuição. Mais de 1.000 motores que podem operar com gás natural renovável e não renovável foram encomendados pelo fornecedor, de acordo com uma fonte a par da situação.

O gás natural emite aproximadamente 27% menos dióxido de carbono quando queimado em comparação com o óleo diesel, de acordo com a Administração de Informações de Energia dos EUA.

Os motores elétricos são considerados menos viáveis ​​para caminhões pesados ​​do que para o veículo de passageiros médio.

Em 2019, a Amazon encomendou 100 mil vans elétricas da startup Rivian Automotive. A primeira dessas vans, a ser usada para entrega de última milha aos clientes, deve ser entregue ainda este ano. A empresa também encomendou 1.800 vans elétricas da Mercedes-Benz para sua frota de entrega na Europa.

Emissões de poluentes

Outras empresas de transporte também estão experimentando maneiras de reduzir as emissões.

Em 2019, a United Parcel Service anunciou planos para comprar mais de 6 mil caminhões movidos a gás natural ao longo de três anos e aumentar as compras de gás natural renovável (RNG) como parte de um investimento de US$ 450 milhões para reduzir o impacto ambiental de seu veículo.

O RNG e o gás natural de combustível fóssil são gases metano e podem ser usados ​​alternadamente. O RNG é derivado da decomposição de matéria orgânica, como esterco de vaca em fazendas leiteiras, alimentos descartados em aterros sanitários e dejetos humanos em estações de tratamento de água. Também evita que o metano natural — um poderoso gás de efeito estufa — seja liberado no meio ambiente.

As ações da Amazon caíram 0,1% nas negociações pós-fechamento. As ações da Cummins subiram 4%, enquanto as ações listadas nos EUA da Westport com sede no Canadá subiram, ganhando 47% na sessão de reposição.