Geral Valor Online 28 fevereiro 2021

Oferta de gás natural pode chegar a 100 milhões de m³/dia em 2030, diz BNDES

A gerente da área de Governo e Relacionamento Institucional do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Camila Lima, detalhou no dia 23 de fevereiro de 2021 o relatório desenvolvido pela instituição sobre o setor de gás natural no país e apresentado na 2ª Semana Gás para o Desenvolvimento.

O relatório, batizado de Gás para o desenvolvimento – Perspectivas de oferta e demanda no mercado de gás natural do Brasil, mostra que a oferta de gás natural nacional pode subir de 50 milhões para 100 milhões de metros cúbicos diários (m³/dia) em 2030. Esse avanço, diz Camila, viria principalmente do pré-sal e de novos campos, que dependeriam de novos investimentos.

Nesse sentido, o banco de fomento identificou, em seus estudos, pontos críticos na oferta e na demanda de forma a manter a atratividade dos investimentos na produção de gás.

Segundo Lima, são críticos, do lado da oferta, o volume disponível nos campos, pois a executiva lembra que a escala é algo crítico para a tomada de decisão de investimento; a inexistência de interrupção no fluxo, com a necessidade de demanda firme pelo insumo; o acesso a infraestrutura; e o preço cobrado pelo gás produzido.

Do lado da demanda, o segmento industrial pode ser a principal âncora, demandando gás para uso energético e matéria prima, com um consumo de até 70 milhões de metros cúbicos por dia a partir de 2030. Os estudos mostram ainda que projetos que significariam uma demanda de 21,8 milhões de metros cúbicos por dia seriam viáveis com um preço do gás entre US$ 4 e US$ 6 por milhão de BTU.

Além disso, os projetos do lado da demanda demandariam R$ 35 bilhões em investimentos e 85% garantiriam demanda em projetos de longo prazo.

Lima ressaltou que, além da indústria, também há oportunidades de demanda nos setores termelétricos e de transportes.

O relatório é resultado de um amplo mapeamento realizado pela equipe técnica do BNDES ao longo de 2020 com mais de 60 representantes de diferentes elos da cadeia produtiva do gás natural. O objetivo é prover gestores públicos e agentes de mercado com informações sobre o potencial do segmento, sua infraestrutura e fatores que influenciam decisões de investimento.

 

Fonte: Abegás (23/02/2021)

Compartilhe: