GD Francesco La Camera 14 abril 2021

Renováveis batem recorde em 2020, aponta Irena

Período atual é classificado como a década das renováveis pelo diretor geral da entidade

A energia a partir de fontes renováveis registrou recorde na adição de nova capacidade de geração. Segundo dados da Agência Internacional de Energia Renovável (Irena), publicação disponível para download (em inglês), o volume superou as estimativas anteriores, apesar da desaceleração econômica resultante da pandemia de Covid-19. De acordo com dados divulgados pela entidade, o mundo adicionou mais de 260 GW em 2020, superando a expansão em 2019 em cerca de 50%.

De acordo com a Irena, mais de 80% de toda a nova capacidade de eletricidade adicionada no ano passado era renovável, com a energia solar e eólica respondendo por 91% das novas energias renováveis.

A entidade explica que a crescente participação das energias renováveis ​​no total é parcialmente atribuível ao descomissionamento de usinas a partir de combustíveis fósseis na Europa, América do Norte e pela primeira vez na Eurásia (Armênia, Azerbaijão, Geórgia, Federação Russa e Turquia). O total de adições de combustível fóssil caiu para 60 GW em 2020 de 64 GW no ano anterior, destacando uma tendência contínua de redução da expansão dos combustíveis fósseis.

Na avaliação de Francesco La Camera, diretor geral da Irena, o ano de 2020 marca o início da década das renováveis. Ele lembra da queda dos custos, crescimento dos mercados de tecnologia limpa e os benefícios da transição energética que estão mais claros do que nunca. O executivo diz que essa é a tendência mas, como destaca a revisão da perspectiva da transição da energia mundial, há muito a ser feito.

Nossa perspectiva de 1,5 grau mostra que investimentos significativos em energia planejada devem ser redirecionados para apoiar a transição se quisermos atingir as metas de 2050. Nesta década crítica de ação, a comunidade internacional deve olhar para esta tendência como uma fonte de inspiração para ir mais longe , concluiu ele em comunicado.

O volume adicionado representa um aumento de 10,3% na capacidade instalada representa uma expansão que supera as tendências de longo prazo de crescimento mais modesto ano a ano. No final de 2020, a capacidade de geração renovável global totalizava 2.799 GW, com a energia hidrelétrica ainda respondendo pela maior parte (1.211 GW), embora a energia solar e a eólica estejam se recuperando rapidamente. As duas fontes ​​dominaram a expansão da capacidade em 2020 com 127 GW e 111 GW de novas instalações de energia solar e eólica, respectivamente.

Assim como já revelador por outros levantamentos, a China e os Estados Unidos foram os dois mercados de crescimento de destaque em 2020. A China, já o maior mercado mundial de energias renováveis, adicionou 136 GW no ano passado, com a maior parte vindo de 72 GW de energia eólica e 49 GW de energia solar. Os Estados Unidos instalaram 29 GW de energias renováveis ​​no ano passado, quase 80% a mais do que em 2019, incluindo 15 GW de energia solar e cerca de 14 GW de vento. A África continuou a se expandir com um aumento de 2,6 GW, um pouco mais do que em 2019, enquanto a Oceania continuou a ser a região de crescimento mais rápido (+ 18,4%), embora sua participação na capacidade global seja pequena e quase toda a expansão ocorreu na Austrália.

Tecnologias

A fonte eólica quase dobrou de tamanho em 2020 em comparação com 2019 (111 GW em comparação com 58 GW no ano passado). A China adicionou 72 GW de nova capacidade, seguida pelos Estados Unidos (14 GW). Dez outros países aumentaram a capacidade eólica em mais de 1 GW em 2020. A energia eólica offshore aumentou para atingir cerca de 5% da capacidade eólica total em 2020.

Já a capacidade solar total atingiu agora quase o mesmo nível que a capacidade eólica graças, em grande parte, à expansão na Ásia (78 GW) em 2020. Grandes aumentos de capacidade na China (49 GW) e no Vietnã (11 GW). O Japão também adicionou mais de 5 GW. A Índia e a Coréia do Sul expandiram a capacidade solar em mais de 4 GW. Os Estados Unidos adicionaram 15 GW.

A hidreletricidade apresentou o comissionamento de vários grandes projetos adiados de 2019. A China participou com 12 GW de capacidade, seguida pela Turquia com 2,5 GW. Já em termos de bioenergia, a expansão caiu pela metade em 2020 (2,5 GW ante 6,4 GW em 2019). A capacidade de bioenergia na China aumentou em mais de 2 GW. A Europa é a única outra região com expansão significativa em 2020, adicionando 1,2 GW de capacidade de bioenergia, similar a 2019. Para finalizar, a eletricidade fora da rede cresceu 365 MW em 2020 (2%) para atingir 10,6 GW.

 

Fonte: Maurício Godói /Agência CanalEnergia (06/04/2021)

Compartilhe: