GNL epbr 20 julho 2021

EPE indica quatro novos terminais de GNL, que somam R$ 1 bi em investimentos

O Plano Indicativo de Terminais de GNL (Piter), da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), aponta a expansão da capacidade de regaseificação do país em 56 milhões de m³/dia, com a construção de quatro novos terminais.

— O Piter foi criado pela EPE para sinalizar ao mercado projetos de interesse para o setor de gás natural e energia elétrica e reúne informações sobre o mercado, infraestrutura, vantagens e alternativas para instalação dos terminais. É, como o próprio nome diz, um indicativo feito pela estatal.

— Terminais são indicados no Amazonas, Espírito Santo, Maranhão e Pará. Os custos para tirar os projetos do papel são estimados em R$ 1 bilhão. 

Resume a EPE:

  • Itacoatiara (AM): importante ponto comercial próximo a Manaus e com calado ainda profundo no Rio Amazonas;
  • São Luís (MA): capital estadual ainda não abastecida por gás natural e com bom potencial de demanda;
  • Presidente Kennedy (ES): cidade próxima à malha integrada com alguns projetos de chegada de gás do pré-sal e interiorização do gás no país;
  • Pontal do Paraná (PA): possibilita nova entrada de gás natural na malha integrada da região Sul.

A Petrobras realizou ontem (19/07/2021) uma nova tentativa de arrendar o terminal de GNL da Bahia. Foi aceito o recurso da Excelerate, inicialmente desclassificada nesta segunda licitação do TR-BA.

— A nova rodada estava prevista para 26 de julho, mas foi antecipada a pedido da própria Excelerate, que reafirmou o interesse em arrendar o terminal.

— A inclusão de condicionantes na proposta comercial, pela Excelerate, havia levado à desclassificação da oferta. Ela foi a única empresa a participar da concorrência, com um lance de cerca de R$ 3 milhões por mês pelo arrendamento do terminal. O contrato deve durar até dezembro de 2023.

— A Petrobras aceitou os recursos da empresa para manter a licitação de pé. Com isso, foi aberta uma chance para apresentação de ofertas por outras interessadas. O resultado ainda não foi divulgado.

Preço do Brent atinge menor valor em dois meses, após queda de 7%. No intraday, os contratos futuros com vencimento em setembro chegaram a ser cotados a US$ 67,75 por barril, valor que não era visto desde 10 de maio.

— Reação ao desenrolar das negociações na OPEP+, de aumento da oferta de óleo a partir de agosto, com efeitos em 2022. Nesta terça (20/07/2021), a commodity continua em queda, de 0,25%.

— A tendência é de volatilidade no curto prazo. Como o cenário ainda é de demanda restrita, o mercado acaba reagindo bruscamente aos sinais de reversão, seja na recuperação econômica ou por conta do recrudescimento da pandemia. 

Os preços nacionais tendem a acompanhar. Apesar do câmbio em alta, o forte recuo nos preços internacionais devem levar a novo reajuste, para baixo, da Petrobras.

— Este mês, a companhia aumentou os preços do diesel e da gasolina, após cerca de dois meses de ganhos nas commodities no exterior.