Geral TN Petróleo/Agência Petrobras 07 outubro 2021

Petrobras irá reduzir emissões em novos projetos de plataformas totalmente eletrificadas

Revisão regulatória aprovada hoje (07/10) propicia a redução de emissões das plataformas de petróleo pelo incentivo ao uso de energia elétrica

A Petrobras encontra-se preparada tecnologicamente para adotar plataformas totalmente eletrificadas e, com a alteração da Resolução 382/2006 aprovada hoje pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), está apta a incorporar a tecnologia all electric em suas novas unidades marítimas. Essa configuração é mais eficiente e permite utilizar menos combustível para geração de energia na plataforma, com menor emissão tanto de gases de efeito estufa como de outros gases, como o NOx. Os estudos demonstraram que essa configuração permite uma redução de até 20% das emissões em relação à configuração atualmente adotada.
A revisão da resolução atende a pleito do setor de óleo e gás. Para as discussões sobre a alteração da norma, foram apresentados estudos para avaliar os ganhos ambientais do uso da configuração de uma planta com maior eletrificação nas plataformas de produção de petróleo e gás. Constatou-se que, em relação ao arranjo convencional, são reduzidas as emissões tanto de gases de efeito estufa quanto de outros gases da combustão, como, por exemplo, óxidos de nitrogênio.
O pleito incluiu também estudo realizado pelo Professor Paulo Artaxo, do Instituto de Física da USP, que realizou modelagens numéricas de dispersão dos poluentes, mostrando que não há impacto para a população em território brasileiro, devido às condições de emissões e transporte de poluentes emitidos. Artaxo considera importante que sejam implementadas iniciativas de redução de emissões de gases de efeito estufa. 
A mudança na resolução aprovada nesta quinta-feira particularizou a aplicabilidade dos limites de emissões a partir da geração de energia elétrica em operações offshore. A alteração na resolução possibilitará a centralização da geração de energia em um único ponto das plataformas, de forma otimizada, distribuindo energia elétrica para os demais equipamentos.

O conceito all electric é ambientalmente desejável e relevante para a trajetória de descarbonização e para o cumprimento dos compromissos de sustentabilidade da Petrobras e da indústria de óleo e gás como um todo. Ter melhor eficiência em carbono também favorece a indústria nacional, pois há mais possibilidade de oferta de equipamentos nacionais em substituição a equipamentos que hoje são importados, e representa maior competividade para o petróleo e gás brasileiro nos mercados futuros internacionais, destaca do diretor de Relacionamento Institucional e Sustentabilidade, Roberto Ardenghy.
A incorporação da tecnologia all electric vai trazer maior eficiência operacional, assim como simplificação do arranjo da unidade, além da redução de emissões. Com essa autorização, iniciaremos uma nova geração de plataformas com produção mais sustentável, complementa o diretor de Desenvolvimento da Produção da Petrobras, João Henrique Rittershaussen.
A Petrobras segue comprometida com a transição para uma economia global de baixo carbono como imperativo ético e de competitividade. Nos últimos anos, vem diminuindo as emissões, conforme o compromisso de 25% de redução até 2030 em relação a 2015.  Na exploração e produção, a empresa emite hoje 47% menos gases de efeito estufa por cada barril de óleo equivalente produzido do que em 2009. A companhia busca produzir energia acessível para a sociedade, com uma operação segura, eficiente, de baixo custo e com menos emissões e, recentemente, anunciou a ambição de atingir a neutralidade das emissões nas atividades sob seu controle, em prazo compatível com o estabelecido pelo Acordo de Paris.