Distribuição Valor Online 13 outubro 2021

Comgás prorroga contrato de distribuição de gás com o Estado de SP até 2049

Comgás prorroga contrato de distribuição de gás com o Estado de SP até 2049

Maior distribuidora de gás canalizado do país, a Comgás garantiu mais 20 anos de contrato junto ao governo paulista. Assinado pelas partes em 08 de outubro último, o aditivo prorroga antecipadamente a concessão, que expiraria em 2029, até 2049. Em troca, a companhia se compromete com investimentos da ordem de R$ 21 bilhões até o fim do novo horizonte de concessão.

Para o presidente da Comgás, Antônio Simões, a prorrogação é oportuna e permite a modernização do contrato de concessão, trazendo diretrizes mais compatíveis com a nova realidade do mercado de gás. “Esse processo coloca o Estado numa posição de vanguarda, com benefícios para os clientes. Para nós, ficamos mais próximos da visão de uma ‘utility do futuro’, podendo prover muito mais aos nossos clientes”, disse ao Valor.

O aditivo prevê metas de desempenho, como a ligação de 2,3 milhões de novos clientes e a expansão da rede de gasodutos de distribuição em 15,4 mil quilômetros, além da conexão de mais 41 municípios. A concessionária deverá chegar ao fim de 2049 com 134 municípios atendidos e 34 mil quilômetros de redes. Sua base de usuários aumentará para 4,4 milhões, enquanto o volume de gás distribuído atingirá 9,8 bilhões de metros cúbicos.

Simões ressalta que o plano de R$ 21 bilhões em investimentos é um “indicativo”, não um valor 100% fechado. “É uma obrigação da Comgás, se o governo convocar esses investimentos, eu não posso me negar a fazê-los. Mas a prorrogação não muda o fato de que, a cada cinco anos, vamos ter uma revisão tarifária, e é nesse momento que vamos discutir a priorização dos investimentos, e vai se confirmar ou não o tamanho deles”.

Segundo o executivo, a garantia de mais prazo de concessão também dá mais segurança aos investimentos do próximo ciclo tarifário da companhia, de 2024-2029. “O plano em si ainda vai ser definido, mas o desenho inicial era de 14 novos municípios e R$ 1 bilhão por ano de investimentos. Só que, sem a prorrogação, esse plano estava em grande risco, não teríamos garantia de que haveria tempo para retornar esse investimento.”

Controlada pela Compass, do grupo Cosan, a Comgás detém hoje 19 mil quilômetros de gasodutos, que levam gás natural a mais de 2,1 milhões consumidores em 93 municípios. Embora já opere uma base relevante, ela enxerga espaço para expansão.

“Nos últimos cinco anos, conectamos de 100 a 120 indústrias pequenas e médias e quase 2 mil pequenos comércios, por ano. Os grandes volumes já estão na nossa rede, mas temos um Estado que cresce”, observa Simões.

Do lado do suprimento de gás, o aditivo traz algumas inovações. Determina, por exemplo, que a companhia deve dar preferência ao biometano sempre que ele for competitivo. “Há 20 anos isso não estava nem no radar e hoje já é uma realidade, São Paulo tem um dos maiores potenciais de biometano do país”, destaca o presidente. A distribuidora também passa a trabalhar com regras mais claras para compra do gás, com a abertura de chamadas públicas e leilões.

 

Fonte: Valor Online (11/10/2021)