Geral TN Petróleo/Assessoria Firjan 14 outubro 2021

Workshop da Firjan esclarece dúvidas sobre transporte de gás natural no Novo Mercado

Para aproximar a indústria consumidora de cada agente, o workshop Funcionamento do Transporte de Gás Natural reuniu empresários fluminenses em 06/10/2021. O evento faz parte do projeto de mapeamento da demanda de gás no Rio, que está sendo feito pela Firjan, em alinhamento com a Empresa de Pesquisa Energética (EPE) do Ministério de Minas e Energia. Temos vários desafios para implantar o Novo Mercado de Gás Natural, que é sustentado em quatro pilares, como a promoção da concorrência, anunciou Heloisa Borges, diretora de Estudos do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis na EPE.

A integração de gás com os setores elétrico e industrial, a harmonização das regulações estaduais e federal e a remoção das barreiras tributárias são os outros três pilares destacados por Heloisa. Com esse mapeamento feito pela Firjan, o estado do Rio fica à frente, trazendo visibilidade para a indústria sobre as vantagens de migrar para o gás.

A NTS, que possui malha de gasoduto em São Paulo, Rio e Minas Gerais de 2.048 km de extensão, com capacidade de 78,5 milhões de m3/dia, entrega mais de 70% do gás consumido no Brasil. Fazemos quase um papel de hub. Temos nove pontos de entrada conectados com o pré e o pós-sal, detalha Maurício Simões Lopes, gerente Comercial e Novos Contatos da transportadora.

A NTS tem três produtos para o mercado, sendo o primeiro com chamada pública prevista para fevereiro de 2022. No período de transição, vamos oferecer um contrato extraordinário até a primeira chamada, explica Lopes. Há ainda o terceiro contrato, a partir da chamada de capacidade incremental para atender à demanda pelo gás de Itaboraí, em março de 2022.

Mais de 90% do PIB industrial brasileiro tem acesso à rede de gás natural, segundo Rogério Manso, diretor-presidente da Associação de Empresas de Transporte de Gás Natural por Gasoduto (ATGás). O transporte de gás por gasoduto prevê flexibilidade, confiabilidade e balanceamento (ajustes de demanda e oferta). É como a música, o gás tem que ir aonde a demanda está. Se você sabe a tendência de demanda, facilita, conclui Manso.
 

Como funciona

Luiz Césio Caetano, 1º vice-presidente da Firjan e presidente da Sal Cisne, participou do evento como consumidor de gás e aproveitou para esclarecer dúvidas sobre como contratar o transporte e comprar gás no Novo Mercado. Quem está no Rio pode comprar gás no estado ou em qualquer outro lugar do país. Isso estimula a competição. Todos podem acessar a todos no novo mercado.
Em um modelo de contratação no novo mercado de gás, se você é um produtor de gás, contrata sua entrada na malha. E quem consome vai contratar o ponto de saída perto da sua fábrica. Tipo uma passagem genérica no aeroporto. A entrada no avião está marcada, mas a saída, você pode escolher depois, exemplificou Manso. 

As tarifas vão considerar um padrão europeu, em função da distância de um ponto para os outros da malha e da capacidade de transporte. A tarifa aprovada com a ANP para transportadores usa um modelo híbrido, sendo 80% postal, fixa, e 20% locacional, ressalta Lopes. Para facilitar a contratação nos diferentes operadores das malhas de transporte no Brasil, uma plataforma conjunta entre NTS, TAG e TBG foi lançada. E será implantado também o VTP (ponto virtual de negociação), um hub onde o mercado poderá trocar a molécula, comprar e vender gás, não só o transporte.

O mediador do evento, Fernando Montera, coordenador de Relacionamento de Petróleo, Gás e Naval da federação, concluiu: O mercado está mudando e essa aproximação da indústria com os diferentes agentes da cadeia de valor do gás é primordial para dinamização do mercado. E é partir dessas interações que podemos construir as soluções para viabilizar a expansão da demanda.

O projeto de mapeamento da demanda de gás vem sendo desenvolvido pela Firjan ao longo de 2021. Um primeiro extrato foi publicado junto à última edição do Perspectivas do Gás no Rio e a versão final está prevista para ser lançada no final do ano.