GasNet - O Site do Gás Natural e GNV    
Distribuição Produção Legislação Termelétricas GD - Geração Distribuída Novas Tecnologias Cursos & Eventos Instituições

Tenha o GasNet no seu celular

Disponível para iPhone na AppStore

Disponível para Android na GooglePlay

 
 
Rio Pipeline 2019
(3/9/2019 - 5/9/2019)
Ventro de Convenções Sul América, Cidade Nova, Rio de Janeiro - RJ
IBP - Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis
Horários:
Congresso: 9h às 18h30
Exposição: 12h às 20h

Idiomas:Português e Inglês

 
 
Atena Engenharia Leia as histórias do Netinho (nosso mascote) Acesse a nossa seção e saiba tudo sobre GNV Leia as histórias do Netinho (nosso mascote)
  GD - Artigos
  Autor/Fonte: Brasil Energia Online
  Data: 15/09/2017

    Planta de biogás do lodo de esgoto irá gerar 2,8 MWh


Projeto tem investimentos de R$ 70 milhões e entrará em operação em novembro/17

 

Uma usina de biogás, da Cattalini Bio Energia, em parceria com a Sanepar, irá produzir 2,8 MW de energia elétrica, usando o lodo do esgoto da região metropolitana de Curitiba, no Paraná. Com investimentos de R$ 70 milhões, a planta deverá começar a operar em novembro e deverá atingir a plena capacidade em março do ano que vem. A energia gerada será conectada à rede de distribuição do estado.

Segundo o diretor da Cattalini, Sergio Vidoto, esse projeto é um case para a empresa possa levar a outros estados, firmando parcerias com as respectivas concessionárias de saneamento de cada um deles. Tendo a usina operando e entregando bons resultados, em termos de geração de energia, dará a segurança necessária para atrair futuros novos parceiros, explicou Vidoto à Brasil Energia.

O objetivo é construir mais plantas no mesmo modelo que a Cattalini fez com a Sanepar. Podemos fazer outras parcerias, sempre utilizando resíduo orgânico ou lodo de esgoto para gerar energia a partir do biogás, adiantou.

Na usina, serão tratados 1 mil m³ por dia de lodo de esgoto e 300 toneladas de resíduos orgânicos de grandes empreendimentos da região metropolitana da capital paranaense, como shopping centers, supermercados, indústrias alimentícias e outros.

Após a captação desse material, é feito o tratamento da massa. As embalagens são separadas, deixando a massa limpa para o processo de biodigestão, onde são colocados em um tanque com temperatura sob controle e sem oxigênio, onde fica retido por 25 dias. A partir daí é gerado o biogás, com uma concentração de metano que varia de 60% a 62%.

Esse biogás então é destinado para uma turbina de combustão a gás de onde é gerada a energia, que depois será injetada na rede de distribuição local. “

O processo ainda gera uma fração líquida e outra sólida da massa do tratamento. A sólida vira um biofertilizante e a líquida será tratada na estação de tratamento de esgoto da Sanepar, explicou o executivo. 

Fonte: Brasil Energia Online / Abegás (14/09/2017)

Compartilhe este texto com seus amigos:
 



  Gasodutos
  Cogeração
  GNC

Informa Group

  CopyRight © GasNet - 2013