GasNet - O Site do Gás Natural e GNV    
Distribuição Produção Legislação Termelétricas GD - Geração Distribuída Novas Tecnologias Cursos & Eventos Instituições

Tenha o GasNet no seu celular

Disponível para iPhone na AppStore

Disponível para Android na GooglePlay

 
 
Atena Engenharia Leia as histórias do Netinho (nosso mascote) Acesse a nossa seção e saiba tudo sobre GNV Leia as histórias do Netinho (nosso mascote)
  Termelétricas - Express
  Autor/Fonte: EPBR Newsletter
  Data: 2020-03-10

    Cosan vai investir em geração termelétrica a gás natural


  anunciou nesta segunda (09/03/2020) que vai investir em projetos de  a gás natural, com parceiros estratégicos. A estratégia faz parte do lançamento da empresa , que vai concentrar seus ativos de distribuição,  e comercialização de gás e energia. 

A estratégia começou a ser desenhada em dezembro do ano passado, com a compra da Compass Comercializadora, por US$ 95 milhões. A empresa foi criada em 2009 para atuar na venda de energia no mercado livre, mas também está autorizada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP) a entrar na comercialização de gás. 

A Compass terá em sua carteira a , maior distribuidora regional do país, que atua em São Paulo, com 2 milhões de clientes, consumidores de 12 milhões de m³/dia de gás natural. 

Na área de infraestrutura, a nova empresa será responsável pelo Rota 4, de escoamento de gás do pré-sal da Bacia de Santos, atualmente em licenciamento. No projeto atual, a nova rota prevê um gasoduto com 313 km de extensão, ligando o polo de produção até a Ilha da Madeira, no Porto de Itaguaí, no Rio de Janeiro.

O setor energético do país vive uma profunda transformação, tornando-se cada vez mais diversificado e complexo. Neste cenário, a participação do gás na matriz energética brasileira deve crescer significativamente, afirma Nelson Gomes, presidente da Comgás, e que passa a acumular a posição de presidente da Compass Gás e Energia.

Ficará no guarda-chuva da Compass o projeto do terminal de GNL, em desenvolvimento, para Santos. Prevê um FSRU (terminal flutuante de regaseificação) na Lagoa Caneú, com capacidade para 14 milhões de m³/dia. 

O terminal é pensado para integrar a malha de gasodutos, atendendo à área de concessão da Comgás, a partir da expansão da infraestrutura em Cubatão (SP). Todo o projeto demanda investimentos US$ 120 milhões, de acordo com dados da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), e 36 meses para ser concluído. 


 

 

Compartilhe este texto com seus amigos:
 



  Gasodutos
  Cogeração
  GNC

Informa Group

  CopyRight © GasNet - 2013